sábado, 18 de fevereiro de 2017

JONATHAN LETHEM - FORTALEZA DA SOLIDÃO


Terminei de ler hoje o segundo livro desse autor norte-americano.  Gostei muito .
Dois meninos, dois pais, duas mães desaparecidas.  Os dois meninos, um negro e outro branco e as ruas do Brooklin um bairro que era "eminentemente de negros e latinos"; e aos poucos começa a ser ocupado por pessoas brancas que tinham engrossado as marchas pelos direitos civis nos anos 60, do século XX. Um pai artista plástico, recluso, judeu  e o outro pai, um cantor de blues, negro e viciado em drogas. Com a ausência das mães os dois garotos vão crescendo pelas ruas e vivendo diferentes tipos de situações.

COMPANHIA DAS LETRAS , 2007
Traduzido por Sonia Moreira
Capa João Baptista da Costa Aguiar

sábado, 4 de fevereiro de 2017

A GUERRA NÃO TEM ROSTO DE MULHER - SVETLANA ALEKSIÉVITCH

Comecei a ler e parei. O primeiro livro ruim do ano!
Fico em dúvida se a tradução é que mal feita, capenga, ou se de fato a 
autora é uma tola.
COMPANHIA DAS LETRAS. SP 2016

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

QUANDO NIETZSCHE CHOROU - IRVIN D.YALOM




                                                           Faz muito tempo que esse autor estava na minha lista dos autores a ser lido por mim; mas eu estava sempre adiando e colocando outros em sua frente. Até um dia eu vi A CURA DE SCHOPENHAUER, num sebo de rua no bairro do Leblon, RJ e não resisti, comprei e li avidamente. E como sou do tipo que quando gosta de um autor vai comendo todos os livros dele, assim que terminei de ler o livro citado, já tinha QUANDO NIETZSCHE CHOROU, ali ao meu alcance!
É delicioso como o Yalom tece uma historia ficcional entre dois grandes personagens do final do seculo XIX que nunca se encontraram,  Josef Breuer, que foi um médico e fisiologista austríaco, cujas obras lançaram as bases da psicanalise e o filósofo Friedrich Nietzsche. Ele insere nessa trama a russa Lou  Salome, ( uma pensadora livre que teve várias ligações com poetas, escritores, filósofos e cientistas; Reiner Maria Rilke, Nietzsche, Paul Ree , Sigmund Freund entre outros) e a Bertha Pappenheim, uma paciente real do Dr. Breuer que sofria de depressão e hipocondria. 
Além dessas duas mulheres ele também coloca o Freund, que foi um protegido do Dr. Breuer e que herdou a Bertha como paciente, depois que Mathilde a mulher do médico implicou com a relação entre seu marido, o dr. Breuer e essa paciente. Salome pede ao dr. Breuer que trate o Nietzsche que está muito doente, este com a ajuda de Freund bola um esquema pro Nietzsche falar de si e assim eles conseguirem trata-lo, porém o jogo vira e quem acaba paciente do Nietzsche é o dr, Breuer! Genial como Yalom constrói tudo isso....
Meu próximo livro dele será aquele que tem o SPINOZA como personagem principal!

Agir/EDIOURO, SP
Tradução : Ivo Korytowski
Capa: SCINTILLA LIMA, sobre projeto original de Miriam Lerner

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

A CURA DE SCHOPENHAUER - IRVIN D.YALOM

                                                         
                                                     
Acabei de ler. Me surpreendeu. Tempos que eu tentava ler esse autor e não tinha oportunidade pois não queria pagar o preço que as livrarias cobram por um livro novo. Até que andando na rua Ataulfo de Paiva , no Leblon, RJ, dei de cara com ele no mesmo lugar que encontrei "O amigo de Infancia" da Dana Tartt tempos atrás.
 A Cura de Schopenhauer

Peguei-o e já comecei ali mesmo a ler as suas orelhas!
Devorei em três dias!
Um psicanalista tem um diagnostico que terá pouco tempo de vida. Resolve então buscar antigos pacientes que ele não conseguiu tratar para saber porque falhou no tratamento. Consegue encontrar um deles, que foi seu paciente (25 anos antes desse momento da historia) um viciado em sexo e o traz para seu grupo atual e,
Ai começa uma verdadeira peregrinação nos escritos do filosofo Schopenhauer e outros filósofos mudando o rumo da terapia do grupo.
Gostei dessa "sacada" do Yalom de escrever sobre os filósofos mesclando  com a psicanálise. Os próximos que vou ler serão "Quando Nietzsche chorou" e o "O enigma de Spinoza".
Editora Ediouro.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

A GATA, UM HOMEM E DUAS MULHERES E O CORTADOR DE JUNCOS - JUN ICHIRO TANIZAKI

Duas novelas maravilhosas do Tanizaki, que é um dos meus autores preferidos. Essa é publicação foi recém lançada. O Tanizaki consegue cria umas intrigas eróticas fascinantes sem cair no lugar comum desse tema.
As duas novelas são completamente diferentes embora tratem do mesmo assunto; o famoso triangulo amoroso.
 ESTAÇÃO LIBERDADE. SP. 2016
Varias tradutoras.
Capa KATSUSHIKA HOKUSAI, "Pessoas descendo a colina" (cerca de 1830) GETTY Images

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

O MUSEU DO SILENCIO - YOKO OGAWA

Resultado de imagem para LIVRO O MUSEU DO SILENCIO
TERMINEI DE LER! A primeira vez que eu leio um livro que os personagens não tem um nome e nem sobrenome. Ela, a autora é japonesa mas a literatura dela é completamente ocidental, não tem nenhum resquício de Japão no livro. OS OBJETOS são o cerne da questão!
Tipo da leitura que você quer chegar no final e não para de ler. Por isso  eu .li em três dias mesmo com tantos afazeres.
Para quem fez Museologia como eu, (embora não esteja dentro de um Museu formal), eu recomendo a leitura. Não vou contar nada da historia além do que falei no inicio desse post!
Editora ESTAÇÃO LIBERDADE,SP, 2016
Tradução de Rita Kohl
Capa : "Detalhe de Grande Buda" Templo Todaiiji, Nara,Japão, Marisa Vega Getty Images



De japonês somente o nome da escritora e alguns kanjis na primeira pagina e na contra capa!

sábado, 14 de janeiro de 2017

FIÓDOR DOSTOIÉVSKI - O ADOLESCENTE

                                                      

Terminei a leitura do livro O ADOLESCENTE do escritor russo Fiódor Dostoiévski.
Poderia passar o resto da noite inteira falando de tudo, do livro, do autor, das intrigas da corte entre os nobres falidos,da época em que foi escrito, das reflexões dos personagens sobre a vida difícil da Russia no Seculo XIX para o povo tanto citadino quanto o campesino, tantas filosofias do autor sobre a vida e o mundo, tiradas bíblicas, uma paixão pelo cristianismo; mas o que mais me "pegou" foi a misoginia do Dostoiévski! E como nas páginas finais existe um esclarecimento sobre o livro, o autor, o tempo, sobre o romance de formação, romance de geração, sobre o caos e o ideal de nobreza e em momento nenhum comenta essa misoginia do autor!


"O adolescente, publicado em 1875, é um dos cinco grandes romances de maturidade de Dostoiévski, ao lado de Crime e castigo, O idiota, Os demônios e Os irmãos Karamázov. Mesmo sendo o menos conhecido dentre eles devido à incompreensão da crítica do século XIX, que não entendeu sua estrutura moderna, fragmentária, baseada nas memórias do protagonista , a obra revela toda a genialidade do escritor, então no auge de seu talento. O livro, narrado em primeira pessoa por um jovem de vinte anos, Arkadi Dolgorúki, apresenta as tentativas deste em ser aceito na sociedade russa da época. Filho ilegítimo de um proprietário de terras com uma humilde serva, criado longe da família, em um internato de elite..."  

Essa é uma resenha que eu transcrevo do site da estante virtual, mas a historia é muito mais do que isso que eles simplificaram!

Editora 34 Ltda,SP 2015
Traduzido direto do russo por Paulo Bezerra (excelente tradução)
Ilustrado com os manuscritos do autor

LEITURA ALTAMENTE RECOMENDADA